Autoavaliação - Conhecer para aprender; agir para melhorar

A equipa de autoavaliação do Agrupamento de Escolas D. Maria II

A equipa de autoavaliação tem em vista contribuir para a melhoria da qualidade do serviço público de educação prestado nos estabelecimentos pertencentes ao Agrupamento de Escolas D. Maria II respondendo às exigências legais em vigor nesta matéria, concretamente no que toca à introdução de mecanismos de autorregulação no que diz respeito aos resultados escolares e à prestação do serviço educativo.

O projeto de auto-avaliação do agrupamento foi aprovado pelo Conselho Pedagógico e o Conselho Geral desde a constituição do Agrupamento o que agilizou e legitimou a institucionalização das práticas autoavaliativas na comunidade educativa. O coordenador  da equipa de autoavaliacão é membro constituinte do Conselho Pedagógico.

 

Constituição

Para desenvolver este projeto a equipa conta, no ano lectivo 2015-2016,  com um grupo operacional de intervenção contínua de cinco professores e um grupo de focagem, de intervenção descontínua, cuja função consiste em validar os instrumentos e as linhas orientadoras da equipa como um todo; este grupo é constituído por quatro professores do Agrupamento (Educação pré-escolar, 1º Ciclo, 3º Ciclo e Ensino Secundário), 3 alunos, dois Encarregados de Educação e um assistente operacional num total de 10 elementos.

 

Objetivos

As linhas orientadoras da ação da equipa estão balizadas por um conjunto de objectivos gerais:

·         Fomentar a reflexão e o debate na comunidade educativa em torno da procura de um sentido colectivo do agrupamento;

·         Incentivar a comunidade educativa numa busca sistemática e rigorosa da melhoria e eficácia do agrupamento;

·         Promover as ações e os processos de melhoria da qualidade da aprendizagem do agrupamento.

Persegue ainda os seguintes objectivos específicos:

·         Conhecer/compreender as dinâmicas desenvolvidas na escola, no intuito de proporcionar as soluções mais adequadas e criativas à resolução dos problemas emergentes;

·         Proporcionar informação útil aos diversos actores da comunidade para poderem reflectir sobre o seu trabalho e, assim, aperfeiçoarem a sua ação no agrupamento;

·         Conhecer os resultados alcançados com o desenvolvimento de projetos dinamizadores do agrupamento;

·         Informar toda a comunidade educativa sobre os resultados alcançados;

·         Publicitar o trabalho desenvolvido pelo agrupamento junto da comunidade envolvente.

 

Funções

·         Planear o processo de auto-avaliação do agrupamento(construção dos referenciais, de instrumentos de recolha de informação, …);

·         Recolher e tratar a informação necessária a uma reconstrução crítica da realidade escolar (condução de entrevistas, observação, análise de documentos, …);

·         Apresentar os resultados da auto-avaliação através da sua divulgação à comunidade educativa;

·         Promover a reflexão sobre os resultados obtidos nas áreas em  avaliação (análise e crítica contextualizada através da elaboração de relatórios ou outros instrumentos considerados pertinentes );

·         Propor ações de melhoria no agrupamento aos órgãos com competências para o seu desenvolvimento e coordenação.

 

Enquadramento do trabalho da equipa no Agrupamento

 

O trabalho da equipa desenvolve-se em torno dos princípios, valores, metas e estratégias da acção educativa do agrupamento consagrados no seu Projeto Educativo (2015-2018) e ainda em torno de três áreas de ação adotadas em consonância com o processo de definição do quadro de referência do segundo ciclo de avaliação da Inspeção Geral da Educação e Ciência que prevê três domínios: Resultados, Prestação do serviço educativo e Liderança.

 

As três áreas de acção dividem-se em nove subáreas que por sua vez se traduzem em critérios. Os critérios são explicitados em indicadores pela equipa de auto-avaliação que aponta pistas a investigar em Quadros Referencias subordinados a uma determinada área ou subárea.

 

 

Quadro de Referência adotado pela equipa de autoavaliação do Agrupamento a partir do ano letivo 2015-2016.

 

1.     RESULTADOS

1.1.    Sucesso académico

1.1.1.   Eficácia Interna e Externa

1.1.2.   Qualidade Interna e Externa

1.1.3.   Coerência

1.1.4.   Cumprimento /Fluxos

1.2.    Resultados sociais

1.2.1.   Participação na vida da escola e assunção de responsabilidades

1.2.2.   Cumprimento das regras e disciplina

1.2.3.   Formas de solidariedade

1.2.4.   Impacto da escolaridade no percurso dos alunos

1.3.    Reconhecimento da comunidade

1.3.1.   Grau de satisfação da comunidade educativa

1.3.2.   Formas de valorização dos sucessos dos alunos

1.3.3.   Contributo da escola para o desenvolvimento da comunidade envolvente

 

2.    PRESTAÇÃO DO SERVIÇO EDUCATIVO

2.1. Planeamento e articulação

2.1.1.   Gestão articulada do currículo

2.1.2.   Contextualização do currículo e abertura ao meio

2.1.3.   Utilização da informação sobre o percurso escolar dos alunos

2.1.4.   Coerência entre ensino e avaliação

2.1.5.   Trabalho cooperativo entre docentes

2.2. Práticas de ensino

2.2.1.   Adequação das atividades educativas e do ensino às capacidades e aos ritmos de aprendizagem das crianças e dos alunos

2.2.2.    Adequação das respostas educativas às crianças e aos alunos com necessidades educativas especiais

2.2.3.   Exigência e incentivo à melhoria de desempenhos

2.2.4.   Metodologias ativas e experimentais no ensino e nas aprendizagens

2.2.5.   Valorização da dimensão artística

2.2.6.   Rendibilização dos recursos educativos e do tempo dedicado às aprendizagens.

2.2.7.   Acompanhamento e supervisão da prática lectiva

2.3.  Monitorização e avaliação do ensino e das aprendizagens

2.3.1.   Diversificação das formas de avaliação

2.3.2.   Aferição dos critérios e dos instrumentos de avaliação

2.3.3.   Monitorização interna do desenvolvimento do currículo

2.3.4.   Eficácia das medidas de promoção do sucesso escolar

2.3.5.   Prevenção da desistência e do abandono

 

3.     LIDERANÇA E GESTÃO

3.1. Liderança

3.1.1.   Visão estratégica e fomento do sentido de pertença e de identificação com a escola

3.1.2.   Valorização das lideranças intermédias

3.1.3.   Desenvolvimento de projetos, parcerias e soluções inovadoras

3.1.4.   Motivação das pessoas e gestão de conflitos

3.1.5.   Mobilização dos recursos da comunidade educativa

3.2. Gestão

3.2.1.   Critérios e práticas de organização e afetação dos recursos

3.2.2.   Critérios de constituição dos grupos e das turmas, de elaboração de horários e de distribuição de serviço

3.2.3.   Avaliação do desempenho e gestão das competências dos trabalhadores

3.2.4.   Promoção do desenvolvimento profissional

3.2.5.   Eficácia dos circuitos de informação e comunicação interna e externa

3.3. Autoavaliação e melhoria

3.3.1.   Coerência entre a autoavaliação e a ação para a melhoria

3.3.2.   Utilização dos resultados da avaliação externa na elaboração dos planos de melhoria

3.3.3.   Envolvimento e participação da comunidade educativa na auto-avaliação

3.3.4.   Continuidade e abrangência da auto-avaliação

3.3.5.   Impacte da autoavaliação no planeamento, na organização e nas práticas profissionais

Consciente da extensão e complexidade do referencial adotado, a equipa propõe-se proceder ao desenvolvimento gradual, contínuo e cada vez mais abrangente da auto-avaliação das áreas apresentadas, começando em 2015-2016 por incidir nos critérios correspondentes a áreas de intervenção prioritárias definidas no Projeto Educativo para o triénio 2015-2018.