31 Out 2017
Projetos Especiais

Asteroide 2012 FF25 terá nome português, com a marca da ES D. Maria II

Quatro escolas portuguesas vão, pela primeira vez, dar o nome a um objeto do Sistema Solar

Pela primeira vez, jovens cientistas das escolas secundárias portuguesas vão ter a oportunidade de atribuir o nome a um objeto do Sistema Solar. Trata-se de um asteroide que foi descoberto por quatro equipas de alunos professores do nosso país em 2012, mas as regras da União Astronómica Internacional obrigaram a quase seis anos de espera até a descoberta poder ser oficializada. Inicialmente designado por 2012 FF25, este objeto tem sido observado nos últimos anos pelos mais importantes telescópios do mundo.

 

A campanha que levou à descoberta do asteroide 2012 FF25 pelos jovens alunos portugueses envolveu escolas e universidades de todo o mundo, em parceria com o programa internacional de procura de pequenos corpos do sistema Solar, IASC (International Asteroide Search Collaboration), com sede na Universidade de Hardin-Simmons no Texas, EUA e dirigido pelo Professor Patrick Miller. Em Portugal, a organização destas campanhas é feita pelo NUCLIO - com a coordenação da professora Ana Costa - e tem contado com o entusiasmo de muitos professores e alunos que aceitam participar nesta aventura de caçar asteroides fora dos horários letivos normais.

 

A sorte de descobrir o objeto 2012 FF25 coube às equipas constituídas por: Sofia Fernandes, Sofia Lopes e professor João Vieira, da Escola Secundária D. Maria II, Braga; João Martins e professora Cecília Silva, da Escola Secundária Luís de Freitas Branco, Paço D'Arcos; Bernardo Figueiredo e professor Paulo Carapito, da Escola Secundária D. Inês de Castro, Alcobaça; Anderson Ferreira Filho, Daniel Parauta, Cindy Alves e professora Lília Pires, do Agrupamento de Escolas de Valpaços.

 

O asteroide levou quase seis anos a ser validado, com várias observações subsequentes que serviram para determinar com rigor as suas órbitras e posições. A descoberta foi finalmente tornada oficial pelo Minor Planet Center, que inclui agora o asteroide no catálogo dos corpos do Sistema solar, e que lhe irá atribuir o nome escolhido pelos seus descobridores.

 

Parabéns a todos os que contribuíram para este marco histórico da Astronomia em Portugal.

 

(Adaptado do Comunicado de Imprensa do NUCLIO, em 30/10/2017)

Notícias Relacionadas

9 Fev 2017
Projetos Especiais
Os nossos "caçadores de asteróides" estiveram em grande, registando, num mês, trinta e um novos asteróides. Um feito inédito,
3 Nov 2016
Projetos Especiais
O projeto ‘Sistema Activo de Bio Controlo e Eliminação da Vespa Velutina’, desenvolvido por Francisca Ribeiro da Costa e Milena Pereira, alunas do AE D. Maria II, foi distinguido com uma menção [...]